Marketing medico

Fui entrevistado pelo Jornal da Febasgo para uma matéria sobre marketing médico. A íntegra de minha entrevista você encontra aqui.

Jornal da Febrasgo - Um bom médico pode perder espaço para um profissional de menos qualidade em razão do marketing médico?

Mario Persona - Creio que sim. Hoje já não basta você ser competente, é preciso que as pessoas saibam disso. Alguém que tenha dedicado uma vida ao estudo e à prática da profissão de forma anônima e circulando pelos bastidores certamente estará em desvantagem em relação ao profissional que investe em uma maior exposição.



Marcas mutantes

Fui entrevistado pela Revista Empreendedor para uma matéria sobre as marcas que mudam de nome. A íntegra de minha entrevista você encontra aqui.

Revista Empreendedor - Por que as empresas, mesmo tendo o nome conhecido, mudam a sua marca em determinado momento?

Mario Persona - São várias as razões para isso e a mudança também varia muito na sua forma. Tanto podem mudar uma marca como características dela, como um logotipo ou as cores que a identificam. Quando uma empresa comercializava uma marca "X" e de repente aparece com a marca "Y" para substituí-la isso pode ser estratégico para continuar crescendo.

A imprensa informal e' a imprensa democratica?

Fui entrevistado pelo Canal da Imprensa para uma matéria sobre formas alternativas de imprensa e seu impacto na população e nos veículos convencionais. A íntegra de minha entrevista você encontra aqui.

Canal da Imprensa - O que acha de jornais abertos, como o Brasilwiki, onde qualquer pessoa pode ser um repórter?

Mario Persona - Embora entenda que hoje cada pessoa possa ser um repórter, por estar às vezes mais próxima do fato e ter ferramentas à mão, não é exatamente no sentido de um site oficial de notícias informais que costumo me referir ao assunto. Com o tempo sites assim talvez consigam criar uma linha editorial, filtrando seu conteúdo, porque é preciso que qualquer jornal, informal ou não, tenha sua personalidade própria, ou não irá atrair leitores.



Liberdade para errar - Entrevista com Mario Persona

Fui entrevistado pela revista Supermercado Moderno as vantagens e desvantagens da liberdade para errar numa empresa. A íntegra do que falei você encontra aqui:


Supermercado Moderno - Vivemos uma cultura corporativa em que errar é proibido ou as empresas, de modo geral, aceitam os erros dos funcionários e os estimulam a progredir?

Mario Persona - 
Desde a escola somos penalizados pelo erro e premiados pelo acerto. Não me refiro aqui à penalidade por cometermos algum delito ou transgressão, mas pelo simples desconhecimento. Se você errar as questões na prova, sua nota irá valer menos do que a de alguém que acertou todas, mas na vida não é bem assim que as coisas funcionam. Na vida erramos às vezes por desconhecermos uma solução ou simplesmente por corrermos o risco de encontrá-la.



Administracao do tempo em vendas

Fui entrevistado pela Revista Liderança para uma matéria sobre administração do tempo. A íntegra da entrevista você encontra aqui:

Revista Liderança - Qual o primeiro passo para uma pessoa administrar seu tempo?

Mario Persona - Geralmente a resposta mais óbvia seria uma lista de coisas para se fazer e coisas que não devem ser feitas, mas acho que o próprio tempo vai ensinando a gente a administrar melhor o tempo. O que é importante para cada pessoa é o que irá nortear seu uso do tempo. O tempo de cada um deve ser administrado segundo a noção de valor que temos, o que muda muito de pessoa para pessoa.

Empreendedorismo - Entrevista com Mario Persona

Fui entrevistado pela revista Empreendedor para uma matéria sobre o tema Vocação Empreendedora. A íntegra do que falei você encontra aqui:


Revista Empreendedor - Vocação empreendedora, ter aptidão para um determinado tipo de negócio, é uma qualidade imprescindível para levar um empreendimento ao sucesso? Pode ser comparada uma paixão transformadora capaz, no início, de se manifestar apenas como um hobby e depois, nutrido com informações e planejamento, virar negócios bem sucedidos?

Mario Persona - 
Não creio que a vocação empreendedora para um determinado tipo de negócio seja tão importante quanto a vocação para negócios de um modo geral. Existe uma necessidade grande de talento para algumas atividades, mas até mesmo a pessoa mais talentosa do mundo em seu segmento pode ser um péssimo empreendedor se faltar capacidade administrativa.

É comum vermos grandes idéias serem transformadas em negócios de grande potencial que depois acabam em desastre por falta de experiência ou tino comercial e empresarial de seus criadores. O melhor dos mundos é o profissional que, além de talento nato para sua atividade, tem também capacidade comercial e administrativa. Infelizmente nem sempre somos assim, daí a necessidade de reconhecermos nossas deficiências e apelarmos para parcerias, sociedades e terceirizações na hora de colocar em prática um empreendimento.

Devemos aprender mandarim? Entrevista com Mario Persona

Fui entrevistado pela revista Amanhã para uma matéria sobre os negócios na China e a carreira profissional. A íntegra do que falei você encontra aqui:

Revista Amanhã - O senhor, sendo um consultor de planejamento de carreira, aconselharia um jovem profissional a aprender que língua: inglês ou mandarim? Por quê?

Mario Persona -
 Se ele tiver tempo, o ideal seria aprender as duas. O inglês é, há muito tempo, a língua universal por ser a língua dos negócios, do dinheiro. Ainda que a China continue a ganhar terreno no cenário mundial, boa parte do que se fabrica por lá é ditado e comprado por empresas em outras partes do mundo que têm o inglês como idioma comercial.




Entrevista para o Jornal da Tarde - Celebridades e bebidas

Fui entrevistado pelo Jornal da Tarde para a matéria "O último gole?", que fala da separação que poderá existir entre famosos e propagandas alcoólicas. A íntegra de minha conversa com a jornalista você encontra aqui.Jornal da Tarde: O governo quer proibir artistas de participarem de comerciais de TV. Como o artista deve proceder em relação a isso para proteger sua imagem?

Mario Persona: Considerando que não se trata de uma discussão sobre a medida do governo, mas sim de pensar em como proteger os interesses do artista, seu marketing pessoal e sua marca, eu diria que o envolvimento ou não do artista com determinados produtos terá um impacto cada vez maior em sua carreira. O artista deverá tomar cada vez mais cuidado com aquilo a que está associando sua marca. No futuro até artistas de cinema se preocuparão com o tipo de filme que fazem.



Venda de produtos infantis em supermercados

Fui entrevistado pela Revista Gôndola da Associação Mineira de Supermercados (Amis) para a matéria "Lucro infantil" sobre a exposição e venda de produtos de higiene infantil nos supermercados. A íntegra do que falei você encontra aqui.

Revista Gôndola - Qual o melhor posicionamento do produto dentro da loja?

Mario Persona - Isso vai depender muito da loja e do tipo de circulação que existe e que se pretende criar. Quando a circulação é bem definida, ou sabe-se exatamente qual o caminho que o cliente costuma percorrer, é interessante colocar bem visíveis produtos com grande poder de atração visual, promoções e produtos de primeira necessidade, coisas que a pessoa ficará grata por ajudá-la a lembrar de levar assim que entra na loja ou na seção.

Inovacao, Criatividade e Liberdade para Criar

Fui entrevistado pelo jornal "A Crítica" de Manaus para uma matéria com o título "Liberdade para Criar". A íntegra da entrevista você encontra aqui.



Quem e' o cliente interno? - Entrevista com Mario Persona

Fui entrevistado pelo jornal interno da Aços Vic para uma matéria sobre a importância do relacionamento com clientes internos. A íntegra de minha entrevista você encontra aqui.

Aços Vic - Qual o conceito de cliente interno? Quem é cliente de quem?

Mario Persona - A idéia do cliente interno pode ser mais bem entendida quando olhamos do ponto de vista da cadeia produtiva, formada basicamente por três elos: fornecedor, empresa e cliente. Para fabricar um produto qualquer a empresa depende de fornecedores e clientes. Os primeiros fornecem os insumos necessários à fabricação e os clientes adquirem o produto da empresa recompensando a ela e a todos os elos que a antecederam nessa corrente.

O poder de compra das mulheres - Entrevista com Mario Persona

Fui entrevistado pela Revista Vida e Arte do Jornal Diário da Região para uma matéria sobre o comportamento da mulher que compra. A íntegra da entrevista você encontra aqui.

Revista Vida e Arte: Como o retrato dessa nova consumidora foi construído?

Mario Persona: A mulher é hoje o alvo mais importante da indústria dirigida ao consumidor final. Além de aproximadamente metade dos lares brasileiros serem hoje dirigidos por mulheres, em todas as situações elas têm um enorme poder de decisão na compra. Por sua própria natureza, as mulheres são também grandes compradoras por causa de sua capacidade de atenção pulverizada. Enquanto o homem é focado e provavelmente sai para comprar como quem sai para caçar -- tendo um alvo só em mente --, a mulher tem um comportamento mais extrativista, mais de coleta, o que a leva a sair em busca de muitas coisas por ter também um espectro maior de interesses, como beleza, saúde, casa, filhos e até as necessidades do marido. São poucos os homens que compram para suprir necessidades da mulher, mas são muitas as mulheres que compram para suprir necessidades do homem. Daí seu extraordinário poder de compra e consumo.

Comunicacao: Ferramenta Estrategica para o Trabalho

Fui entrevistado pelo Jornal de Empregos e Estágios do Grupo Folha Dirigida para a matéria "Comunicação: Ferramenta Estratégica para o Trabalho", sobre a importância da comunicação na carreira e sua influência na conquista de um bom emprego. A íntegra da entrevista você encontra aqui, além de uma simulação da entrevista em vídeo.

Postagens populares

O palestrante Mario Persona fala de Criatividade, Carreira, Comunicação, Marketing & Vendas em entrevistas para jornais, revistas, sites e emissoras de rádio e TV.